Por uma maneira menos antropomórfica de pensar

Não dá para fugir mesmo, pensamos como humanos, ora, por que nós somos humanos. E possuimos a mania de olhar para as outras entidades naturais e vivas, como um cão brincando com um galho, um gato correndo atrás de alguns pássaros, e uma planta abrindo seus estômatos no frio das noites desérticas e perguntar: Será que eles sentem a "falta", paixão, ciúmes, amor e raiva? Talvez. de uma outra forma que não produza sentido em nós. Mas porque? Ora, eles nao são humanos, podem fazer e sentir todas essas coisas, mas as percebem e as sentem de maneira diferente de nós.

Escrevo isso devido a uma pergunta de uma professora na cadeira de psicologia do ensino. Ela uma Psicóloga, questiona durante a apresentação de um trabalho sobre a natureza do pensamento:

- E uma Lula (o molusco) ela pensa?
- Sim, ela pensa.
- E como é? Como ela pensa?
- Como uma lula.

Imagem: Uma lula vampira (Vampyroteuthis infernalis) encontrada aqui

4 Response to "Por uma maneira menos antropomórfica de pensar"

  • Natália Says:

    Achei que a imagem fosse de um cacto, olhando rápido, assim.
    ;)

    Cada um na sua realidade, né.
    Não podemos generalizar, julgar coisas, organismos alheios baseados na nossa noção de julgamento.

    Essa lição da lula podia ser mais divulgada para os seres humanos também, oras.


  • Clarissa Says:

    Na verdade o que eu mais me questiono é se os pensamentos desses animais não poderiam ser mais coerentes do que os nossos próprios... O ser humano é o animal que mais me intriga, porque ele é capaz de fazer coisas maravilhosas mas outras infinitamente más e sem nenhum motivo razoável à todos... Somos os animais mais atormentados da Terra... ou será que não?

    Seria incrível saber o que se passa na cabeça de um lêmure...


  • Hapi Says:

    hello... hapi blogging... have a nice day! just visiting here....


  • Carlos Hotta Says:

    Essa inconpreensão com outros animais é que nos faz subestimar suas inteligências.