Ruppy, o cão que brilha no escuro

O pequeno Ruppy, é o primeiro cão transgênico a possuir uma proteína fluorescente vermelha que brilha quando exposto a luz ultravioleta, foi desenvolvido pela equipe de Byeong-Chun Lee da Seoul National University da Coréia do Sul. Eles clonaram as células do fibroblasto canino (que são células que constituem o tecido nervoso, sintetizam a matriz extracelular, o colágeno e da a estrutura as celulas no tecido animal) que foram "programadas" para expressar uma proteína encontrada em anêmonas marinhas. A técnica utilizada foi retirar o núcleo de um oócito (o gameta feminino) normal, e "trocar" pelo núcleo com a RFP (red fluorescent protein) a ser expressa, utilizando como vetor de "entrega" da proteína um retrovírus.
Popularmente, este tipo de pesquisa tem um péssimo recebimento do público ( ver os comentários da página do Terra) e até mesmo de alguns cientistas, que são céticos ao uso dessa técnica devido a grande inviabilidade de óvulos no processo.
Mas é um trabalho importante sim, pois o sistema dos cães é mais próximo ao de um humano, em relação aos camundongos (que são os modelos de teste mais utilizados) e futuramente poderá auxiliar no entendimento de doenças compartilhadas pelas duas espécies, como um marcador molecular possível de ser visualizado e monitorado.

Fonte: New Scientist

5 Response to "Ruppy, o cão que brilha no escuro"

  • Luiz Bento Says:

    Isso me lembra Big Bang Theory...
    :D


  • Clarissa Says:

    Já disse uma vez que não entendo muito bem a relevância desse tipo de pesquisa, mas mesmo assim, existe a possibilidade de algo muito importante ser descoberto através desses meios...

    Mas qual era o objetivo dos pesquisadores sul-coreanos quando iniciaram o estudo? Será que era realmente pelos marcadores moleculares ou é só para aparecer? Porque tem muito disso, né. Esse tipo de "exibicionismo" sempre existiu na Ciência.

    Vai saber...


  • L. Felipe A. Says:

    A cena final do episodio do BIG Bang, foi sensacional, o sheldon olhando para o seu GloFish hehe, bem lembrado Luis...


  • L. Felipe A. Says:

    Isso só iremos saber com o tempo, ou se voce entrar em contato com os pesquisadores, para saber se eles queriam aparecer, ou fazer algo util...
    acredito que há muito sensacionalismo por ai, esse com certeza nao é o trabalho mais estranho a ser criticado...


  • glauco Says:

    Vendo a imagem desse cachorro, me passou pela cabeça uma relação entre a luz do animal com a luz da criação bíblica, Gêneses. Deus quando criou o mundo, uma das primeira criações que fez foi a luz. Será que o homem está se aproximando desse feito divino. Será que a luz do cachorro é profana ou sagrada? Pirações minhas!!!!