Emiliania huxleyi, a alga que faz nuvens

Na edição de agosto da revista Genomic Research foi reportado evidências de uma Transferencia horizontal (sabe o que é isso? leia mais aqui) entre a belíssima microalga Emiliania huxleyi e seu virus gigante o Ehv, só que desta vez o que foi passado adiante nao foi somente uma sequência egoista e repetitiva de DNA, mas sim um conjunto de genes (7 no total) envolvidos na sintese de esfingolipidios ( lipidios sao as gorduras e as graxas), e as analises do dna da alga e do virus indicam que em ambos organismos os mesmos genes são funcionais.

A alga E. huxley faz parte do filo Haptophyta e tem como caracteristica marcante a produção de um gás (o sulfeto de dimetila) que ajuda na formação de nuvens sobre os oceanos do planeta. Estas algas formam pequenos discos de calcita ( uma forma de carbonato de cálcio) que recobre sua superfície como se estivessem enfeitadas com botões, e devido a sua natureza a luz do Sol é refratada, sendo possível admirar floração de milhares desses individuos até mesmo do espaço! como na imagem abaixo:

Já o virus que infecta a alga, o Emiliania huxleyi virus 86 (EhV-86) é do gênero dos Coccolithovirus e em investigações iniciais
do seu genoma, descobiriu-se genes responsaveis pela produção de ceramida, que é um esfingolipiodo, o mesmo tipo de produto "fabricado" por aqueles 7 genes trasnferidos para alga, e resposanvel pela apoptose (morte "programada" da célula).

Este é um exemplo claro e dramático do "surgimento" de mecanismos funcionais surgidos de uma transferência horizontal de ancestrais da alga e do virus, e tambem nos dá uma idéia da quantidade e da forma que os genomas atuais podem ter sido moldados por estes eventos, transcendendo a visão que temos do fenomeno Vida muito além de uma árvore comunal, mas sim ao encontro de uma teia delicada, unificadora e extremamente bonita.

E sigam-me os bons no Twitter.


2 Response to "Emiliania huxleyi, a alga que faz nuvens"

  • Clarissa Says:

    Aaaaah, muito legal tu falar das algas! Gosto delas, e gosto muito mesmo, elas são uma parte tão importante para a existência de vida no planeta Terra (como muitos já devem saber dos ciclos biogeoquímicos, da assimilação de energia solar, etc)... enfim, são lindas! No caso dessa alga, a Emiliana huxleyi, as algas da sua divisão, as Haptophytas, são muito importantes para o ciclo de enxofre (como o Felipe falou, a produção de sulfeto de dimetila).

    Não poderia deixar de dar o meu pitaco, né, já que minha paixão são as algas e é com elas que eu trabalho.

    Muito interessante esse caso de transferência de genes. Não sei se pode ter relação, mas no caso de algumas diatomáceas, lipídos ficam pelo citoplasma da célula e as ajudam na emersão, e assim as diatom ficam nas camadas de água mais próximas da superfíce, aonde a luz do sol é mais intensa. Será que a produção desse esfingolipidio traria algum tipo de vantagem para as E. huxleyi? Bom, provavelmente já devem estar estudando isso também!

    Muito bonitas as fotos!!


  • L. Felipe A. Says:

    Oi Clá...

    Sobre a sua pergunta não saberia te dizer a relação, tanto se foi transf. de genes ou sobre a vantagem na E. Hux. (nisso provavelmente traz vantagem né?)

    De fato, são belas e pequenas monstruosidades essas algas...